COLNIZA

BRASIL

Tire dúvidas sobre o WhatsApp: roubo da conta.

Publicados

em

Que medida tomar após revelar o
código do WhatsApp?

Estou com medo de ser clonada, porque
eu sem querer mandei meu código de WhatsApp para outra pessoa. Posso pedir a
alteração desse código?
 – Patrícia

O código de verificação do WhatsApp que chega por SMS para ativar o
aplicativo no aparelho não pode ser modificado, mas ele só é válido por um
curto período. Se a sua conta não foi transferida para outro número de
imediato, provavelmente não há com que se preocupar – ela não será mais
transferida, porque o código deve ter expirado e o golpista teria de convencer
você a fornecer um novo código.

 

Nessa situação, em que o código do WhatsApp foi fornecido a terceiros, o
que você pode fazer é ativar a verificação em duas etapas (menu “três
pontos” > Configurações > Conta > Confirmação em duas etapas).
Configure um endereço de e-mail para permitir que a configuração em duas etapas
seja redefinida, pois este é o método que os criminosos utilizarão para impedir
que você se recupere sua conta.

Monitore seu WhatsApp pelos próximos minutos e, caso ele seja desativado
em seu aparelho, imediatamente reinicie o processo de ativação. Talvez você
consiga recuperar sua conta antes que os criminosos ativem a confirmação em
duas etapas para bloquear você, mas o ideal é que você use a confirmação em
duas etapas para se proteger e impedir que eles tenham sucesso.

Jamais forneça sua senha da confirmação em duas etapas a qualquer
pessoa.



Conta clonada

Tive meu WhatsApp clonado/roubado. Eu
pedi a operadora pra cancelar a linha (bloquear o chip), mandei mensagem para o
[email protected] com a mensagem padrão pedindo desativação de conta, mas
aparentemente, depois de um dia, a conta continua ativa. O que devo fazer?

 

 – Chafic

Infelizmente, esta não é a ação correta após perder a conta do WhatsApp.
O que você deve fazer é iniciar o processo de ativação pelo seu próprio número.
Você não poderá fazer isso se você cancelou a linha.

O cancelamento da linha na operadora não influi no funcionamento do
WhatsApp. Portanto, ao solicitar o bloqueio da linha, você só dificultou a
situação para você mesmo.

Tente reaver a linha o quanto antes e solicitar a ativação do WhatsApp.
Isso deve fazer com que a conta seja desativada. Depois, você precisa aguardar
uma semana (sete dias corridos) para que o WhatsApp libere sua conta para ser
ativada sem a confirmação de duas etapas, que provavelmente foi configurada
pelos golpistas.

O suporte do WhatsApp não costuma responder rápido o suficiente para
atuar nesse tipo de caso. Logo, você precisa tentar realizar a ativação por
meio do SMS para derrubar a conta e iniciar o período de espera de sete dias.



O que fazer quando roubarem sua conta
do WhatsApp:

1.    
Solicite repetidamente a ativação da
conta por SMS, até que a conta fique inativa; você será barrado pela senha de
confirmação em duas etapas configurada pelos invasores;

Leia Também:  Concurso IBAMA 2017/2018: Pedido para nível médio e superior com 1.529 vagas é confirmado! Até R$7mil!

2.    
Aguarde sete dias corridos;

3.    
Solicite novamente a ativação do
número no WhatsApp por SMS;

4.     Celular roubado ou perdido: o que você deve fazer
para proteger seus dados ou até recuperar seu aparelho
.

5.      

Rastreamento no WhatsApp?

Para se obter o usuário do WhatsApp que
me enviou mensagem, é preciso que ele esteja conectado para que haja o rastreio
do IP? Se a conta não existe mais, ainda será possível localizar as origens do
acesso?

 Anônimo

A lei brasileira exige que os provedores de aplicações (como o Facebook)
mantenham informações de uso registradas por um período. Ou seja, não é
necessário que a pessoa esteja conectada e a informação pode permanecer
guardada mesmo após a exclusão da conta, mas você vai precisar informar a data
e a hora em que ocorreu a conduta indevida.

Vale lembrar que você só conseguirá acesso a qualquer informação desse
tipo por meio de solicitações na Justiça, embasadas com a devida justificativa
(o que inclui a data e a hora da ocorrência).

Em muitas situações, o WhatsApp é um péssimo caminho de rastreamento. As
informações da operadora (referentes ao número associado à conta do WhatsApp)
podem ser mais úteis, mas isso depende do caso específico. Procure um
profissional qualificado para conduzir as solicitações ou, em caso de assunto
criminal, comunique a polícia.

 

Fraude do pagamento antecipado

Estou recebendo contato com uma pessoa
do Estado Unidos, de uma senhora que estaria doente e quer enviar um dinheiro
pra mim. O que faço?

 – Aluisio Amorim

Sua única opção é denunciar a conta ou mensagens usando o próprio
WhatsApp. É só tocar no botão “…” e depois em
“Denunciar”.

Esse tipo de fraude, que supostamente oferece dinheiro, evolui até
exigir que você realize um pagamento adiantado com a promessa de receber o
outro valor maior posteriormente – mas o dinheiro nunca chega.

 

O WhatsApp não possui mecanismos para bloquear mensagens de pessoas fora
da sua lista de contatos, então não existe uma configuração específica para
evitar receber esse tipo de contato. O máximo que você pode fazer é denunciar
as mensagens recebidas e esperar que o Facebook exclua as contas abusivas.

A possibilidade de limitar quem entra em contato conosco existia já nos
comunicadores criados no fim da década de 1990, mas o WhatsApp e outros apps
“modernos” parecem ter se esquecido desse tipo de recurso. Por essa
razão, não há boas opções para evitar o recebimento dessas mensagens.

Leia Também:  7 mortos em acidente após festa, e desrespeito a quarentena!

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

BRASIL

Governadores, ex-ministros e artistas pedem a Biden que pressione Bolsonaro

Publicados

em

Foto Internet

Às vésperas da cúpula do clima organizada pelos EUA. o presidente americano, Joe Biden, foi bombardeado ontem por cartas de governadores, ex-ministros, artistas brasileiros, americanos e britânicos que pedem o endurecimento da posição da Casa Branca com Jair Bolsonaro na área ambiental.

Só ontem foram três cartas: uma mensagem de 23 governadores brasileiros, outra de ex-ministros dos governos de Fernando Henrique Cardoso e de Luiz Inácio Lula da Silva, assinada também por sociólogos, cientistas políticos, economistas e professores, e uma terceira enviada por artistas brasileiros, americanos e britânicos.

Na carta dos governadores, eles se colocam como porta de entrada para compartilhar ações de combate ao desmatamento e redução de emissões de gases estufa. No documento, que é assinado por nomes como João Doria (SP), Flávio Dino (MA), Ronaldo Caiado (GO), Wilson Lima (AM) e Mauro Mendes (MT), eles afirmam que podem “contribuir com a captura de emissões globais”.

“Nossos Estados possuem fundos e mecanismos criados especialmente para responder à emergência climática, disponíveis para aplicação segura e transparente de recursos internacionais, garantindo resultados rápidos e verificáveis”, disseram os 23 governadores – apenas Carlos Moisés (SC), Coronel Marcos Rocha (RO), Antonio Denarium (RR) e Ibaneis Rocha (DF) não assinaram.

Em outra carta endereçada ontem a Biden, membros da Comissão Arns de Direitos Humanos ressaltaram o protagonismo que o Brasil já teve em medidas de proteção ambiental, mas lamentaram que essas conquistas têm se revertido em prejuízos com Bolsonaro.

“No plano da ação, o governo vem enfraquecendo sistematicamente os órgãos de gestão ambiental. Revisou regulamentos, flexibilizou normas, revogou dispositivos legais, alterou a composição de órgãos públicos encarregados de monitoramento e aplicação de multas, substituiu chefias competentes por pessoas sem qualificação apropriada – quando não, por sócios da devastação -, perseguiu funcionários, reduziu o orçamento destinado ao meio ambiente”, diz a carta, firmada por ex-ministros, advogados, professores, lideranças indígenas e especialistas em meio ambiente.

Leia Também:  Concurso IBAMA 2017/2018: Pedido para nível médio e superior com 1.529 vagas é confirmado! Até R$7mil!

Biden também recebeu ontem críticas a Bolsonaro enviadas por artistas. O documento foi assinado por 35 personalidades, incluindo os atores Alec Baldwin, Joaquin Phoenix, Leonardo DiCaprio, Mark Ruffalo, Sigourney Weaver, Jane Fonda, Orlando Bloom, e os cantores Roger Waters e Katy Perry. Do lado brasileiro, firmaram a carta Caetano Veloso, Fernando Meirelles, Walter Salles, Marisa Monte, Sonia Braga e Wagner Moura, entre outros artistas.

“Desde que Bolsonaro assumiu o cargo, em janeiro de 2019, a legislação ambiental foi sistematicamente enfraquecida e as taxas de desmatamento triplicaram. As terras indígenas, que são as mais protegidas da Amazônia, foram invadidas, desmatadas e queimadas impunemente. Os direitos dos povos indígenas, guardiães da floresta, foram violados por Bolsonaro e seu governo”, diz a carta.

“Estamos preocupados que seu governo possa estar negociando um acordo para proteger a Amazônia com Bolsonaro neste momento”, diz a mensagem. “Pedimos que o senhor (Biden) continue o diálogo com povos indígenas e comunidades tradicionais da Bacia Amazônica, com governos subnacionais e a sociedade civil antes de anunciar qualquer compromisso ou liberar qualquer fundo”, conclui o texto.

Desde que assumiu, Biden vem sendo intimado a endurecer as negociações com Bolsonaro e grande parte da pressão vem por meio de cartas. Em abril, cerca de 200 ONGs ligadas ao meio ambiente enviaram uma mensagem ao presidente americano com críticas às negociações feitas “a portas fechadas” com o Brasil sobre a Amazônia.

Leia Também:  Mais de 40% dos brasileiros até 14 anos vivem em situação de pobreza

“As negociações ocorrem longe dos olhos da sociedade civil, que o presidente brasileiro já comparou a um câncer”, dizia o texto. “Não é razoável esperar que as soluções para a Amazônia e seus povos venham de negociações feitas a portas fechadas com seu pior inimigo.”

Biden tem sido pressionado até por membros do próprio partido. Na semana passada, também em carta enviada à Casa Branca, senadores democratas afirmaram que Bolsonaro “não demonstrou nenhum interesse sério” em proteger a Amazônia. A mensagem foi assinada por 15 senadores, entre eles Bernie Sanders, Elizabeth Warren e Robert Menendez.

Há duas semanas, a Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, movimento que reúne mais de 280 empresas e instituições representantes do agronegócio, meio ambiente, setor financeiro e academia, enviou uma carta a Bolsonaro para cobrar metas mais ambiciosas.

O entendimento é de que houve “redução no nível de ambição” e isso torna o País menos atraente para investimentos internacionais. “O Brasil só vai receber apoio e parcerias externas por esforços de mitigação como contrapartida a avanços efetivos na agenda climática”, escreveram. O Palácio do Planalto foi questionado sobre as manifestações citadas nesta reportagem, mas não deu uma resposta.

Fonte: Correio Brasiliense

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

COLNIZA

CIDADES

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA