COLNIZA

Distrito do Guariba é palco de mais uma tragédia

Empresária é brutalmente assassinada e marido é preso suspeito do crime em distrito de Colniza

Publicados

em

Pesquisa/Harlis/GOOGLE

A empresária, Andrea Ramos Costa, de 31 anos, moradora do distrito de Guariba em Colniza, no Mato Grosso, foi brutalmente assassinada com golpes de um objeto contundente na cabeça. O caso de feminícidio foi registrado pela polícia militar que prendeu o marido dela por suspeita de ter praticado o crime.

Segundo o que o site Juína News apurou, o suspeito compareceu na polícia militar na manhã de hoje para comunicar que sua esposa estava desaparecida, mas os policiais perceberam que ele estava muito nervoso o que causou estranheza.

Os policiais decidiram então ligar para a vítima via whatsapp, porém seu celular apenas recebia mensagens.

Desconfiados a guarnição foi até a residência da vítima e localizou seu aparelho celular dentro do guarda-roupas, e uma bermuda com vestígios aparente de sangue. Na residência, os policiais verificaram que a camionete de Andrea também tinha vestígios de sangue na carroceria e areia na superfície.

Com alguns elementos de um possível crime a polícia militar deu voz de prisão ao suspeito e iniciaram diligências para localizar o corpo da empresária.

A situação se complicou ainda mais ao suspeito depois que policiais tiveram acesso a imagens em que o homem sai de sua residência com a camionete da vítima próximo das 4h, e na carroceria havia um colchão que foi encontrado queimado próximo ao portão da serraria Garça na MT 206.

Próximo das 13h30 a polícia recebeu informações de que o corpo da empresária estaria em frente ao portão da serraria Xuma na MT 206 e havia vários hematomas pelo corpo e muito sangue no local, onde foi constatado um ferimento contundente na cabeça.

A guarnição isolou o local para os trabalhos investigativos.

Após o exame de local de crime o corpo da empresária foi removido para o IML, e depois liberado para os familiares realizarem os procedimentos fúnebres.

Um vídeo em que mostra o suspeito, Diego Fernandes de Almeida, de 27 anos, pegando areia e levando para sua residência já está de posse das autoridades que investigam o feminicídio.

Outros elementos que indicam que o suspeito praticou o crime também serão objetos de investigação da polícia civil que busca esclarecer os fatos, e entender o que motivou o suspeito em matar sua esposa.

O crime praticado com tamanha violência revoltou o distrito de Guariba causando uma verdadeira comoção social e revolta na população.

Diego já respondia pelos crimes de direção perigosa de veículo, desacato e embriaguez ao volante.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  MUTIRÃO RURAL DA CIDADANIA ATINGE OBJETIVOS E OFERECE SERVIÇO PARA APROXIMADAMENTE 500 PESSOAS.
Propaganda

COLNIZA - MT

Após Homologação da Vara do Trabalho de Juína hospital de Colniza vai receber aparelho de raio-x móvel

Publicados

em

Foto Internet

A Vara do Trabalho de Juína, no norte de Mato Grosso, homologou um acordo que prevê a entrega de um aparelho de raio-x móvel para o Hospital Municipal André Maggi, de Colniza, localizado na fronteira com os estados do Amazonas e de Rondônia.

A perspectiva é que o equipamento propicie o acesso da população a melhores diagnósticos e tratamentos médicos, sem necessidade de se deslocar para outras cidades.

A conciliação pôs fim a dois processos envolvendo a empresa Líder Construções Elétricas, ambos movidos pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) devido a irregularidades que levaram a morte de um empregado e desrespeito à contratação de pessoas com deficiência.

Inicialmente, o juiz Adriano Romero, titular da Vara de Juína, propôs que a conciliação resultasse na construção, pela empresa, de infraestrutura para levar energia elétrica até uma comunidade de 200 famílias localizadas na zona rural de Colniza. A proposta acabou não se concretizando pelos custos previstos com o projeto.

Foi sugerido, então, a compra do raio-x para equipar o hospital municipal.

Pelo acordo, a empresa se comprometeu a comprovar a compra do equipamento em até três meses e depois efetuar a entrega.

Leia Também:  Por maior transparência Brandão instala câmeras de monitoramento no setor de licitações da prefeitura em Colniza

Em caso de descumprimento da conciliação, a execução voltará a correr pelos valores estabelecidos nas decisões judiciais, acrescidos dos juros e correções monetárias.

Destinações

O direcionamento de recursos oriundos de condenações por danos morais coletivos para projetos e ações que atendam a sociedade já é comum na Justiça do Trabalho em Mato Grosso. O foco é reverter os valores pagos por empresas para a própria comunidade, lesada pelo desrespeito à legislação trabalhista.

Fonte: Juína News

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

COLNIZA

CIDADES

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA