COLNIZA

Concurso

Até R$ 4 mil: Ibama lança novos editais e totaliza mais de 1.000 vagas abertas

Publicados

em

Mais dois
editais de processo seletivo foram lançados pelo Instituto Brasileiro do Meio
Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), no Diário Oficial da União
(DOU), desta sexta-feira (26/6). São 168 vagas para os postos de supervisçor
estadual de brigadas (remuneração de R$ 4.180), chefe de esquadrão (remuneração
de R$ 1.567,50) e chefe de brigada (remuneração de R$ 2.090).  

 

A
abertura das seleções considerou a situação de emergência ambiental para
incêndios florestais e o início do período de seca, em especial, nas regiões
Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste do país. 

 

As
chances são para os estados do Amapá e Pará, e o tempo de contrato varia de
quatro a seis meses. 

 

As datas
de inscrição variam com relação às cidades de lotação, entre 29 de junho e 16
de julho. Como os editais divulgados no DOU são simplificados (nas páginas 85 e 86), não há maiores informações quanto às
fases da seleção, mas a íntegra dos editais ainda será divulgada no site do Ibama. 

 

Seleções já lançadas pelo Ibama 

Nesta
semana, o Ibama divulgou quatro novos editais simplificados de processos
seletivos temporários também para brigadistas (alfabetizados com curso de
formação), chefes de esquadrão (alfabetizados com curso de formação), chefes de
brigada (nível médio), supervisor de brigadas estaduais (nível médio e
experiência) e supervisor de brigadas federais (nível superior) do
Prevfogo/Ibama. 

 

O
primeiro edital oferece 691 vagas, para trabalho de cinco a seis meses de
duração, com remuneração de R$ 1.045 para brigadistas, R$ 1.567,50 para chefe
de esquadrão e R$ 2.090 para chefe de brigada. Há chances para o Acre, Bahia, Amazonas,
Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato grosso do Sul, Mato Grosso, Pernambuco,
Piauí, Rondônia e Tocantins. 

 

O segundo
edital tem 125 chances para Brasília, Rio de Janeiro, Rondônia e Tocantins.
Brigadista receberão remuneração de R$ 1.567,50; chefe de esquadrão, R$ 2.090;
e chefe de brigada, R$ 2.612,50. 

 

Já o
terceiro edital oferece cinco vagas para lotação apenas em Brasília/DF, sendo
três para supervisor de Brigadas Federal – manejo integrado do fogo; uma vaga
para supervisor de Brigadas Federal – geoprocessamento; e uma vaga para
supervisor de Brigadas Federal – educação ambiental. Nestes casos, a remuneração
é de R$ 5.225. As inscrições podem ser feitas de 25 a 26 de junho,
presencialmente, das 9h às 17h, no Prevfogo, localizado na Sede do Ibama (Bloco
C – SCEN Trecho 2, L4 Norte, Brasília – DF). 

 

Leia Também:  Aneel aprova aumento de até 39% para contas de luz de 58 distribuidoras

O quarto
edital, por sua vez, oferta 22 vagas para supervisor de brigada para lotação na
Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Piauí, Rio de
Janeiro, Rondônia e Tocantins. A remuneração é de R$ 4.180.  


Fonte : Correio Brasiliense

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Samarco entra com pedido de recuperação judicial

Publicados

em

Foto Internet

A Vale informou nesta sexta-feira, 9, que a Samarco Mineração, sua joint venture em conjunto com a BHP Billiton Brasil, ajuizou um pedido de recuperação judicial (RJ) em uma das Varas Empresariais da Comarca de Belo Horizonte (MG), com fundamento na Lei de Recuperação Judicial e Extrajudicial e de Falências (LRF).

Segundo a empresa, o ajuizamento da RJ foi necessário para evitar que ações já iniciadas como ações de execução de notas promissórias no Brasil, no valor de US$ 325 milhões, e ações movidas pelos detentores dos títulos de dívida com vencimento em 2022, 2023 e 2024 (bonds) em Nova York, afetem a capacidade da Samarco de produzir, embarcar, receber por suas exportações e financiar o curso normal de suas atividades, e também de cumprir com as obrigações do Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC), e consequentemente, de gerar resultados sustentáveis para todos os demais stakeholders envolvidos.

“O pedido de RJ formulado pela Samarco tem o objetivo de preservar sua recente retomada operacional, os empregos e o cumprimento de suas obrigações socioambientais. A RJ traz um ambiente organizado de proteção ao patrimônio e aos ativos da Samarco e de reestruturação do elevado nível de endividamento na sua estrutura de capital”, afirma a Vale.

Reparação

De acordo com a Vale, o pedido de RJ não impactará o cumprimento dos compromissos de reparação assumidos em função do rompimento da barragem de Fundão. A Fundação Renova é responsável pela execução dos programas de reparação dos impactos socioambientais e socioeconômicos e, até fevereiro de 2021, pagou indenizações e auxílios emergenciais para cerca de 325 mil pessoas.

Leia Também:  Governo limita uso do rotativo do cartão a 30 dias para tentar baixar juros58

Desde 2015, R$ 12,2 bilhões foram investidos em iniciativas de reparação e compensação das partes impactadas. Para 2021, espera-se que os programas e ações da Renova atinjam R$ 5,9 bilhões.

O processo tem o objetivo de reestruturar o passivo da Samarco, com as proteções concedidas pela LRF. Com o deferimento do processamento da RJ, todas as ações e execuções movidas por seus credores no Brasil serão temporariamente suspensas, por 180 dias, tendo a Samarco até 60 dias para apresentar o plano de reestruturação de suas dívidas e demais obrigações. Além disso, a Samarco pedirá o reconhecimento do processo de RJ nos Estados Unidos por meio do Chapter 15 do Código de Falências dos Estados Unidos.

A Samarco terá automaticamente o benefício da suspensão de todas as ações judiciais contra ela e seus ativos nos Estados Unidos. Na RJ, a Samarco apresentará um plano de recuperação judicial que pretenderá restabelecer o equilíbrio econômico para apreciação da assembleia de credores, financeiro e honrar os compromissos assumidos com seus diversos stakeholders, de modo a permitir, ao mesmo tempo, à Samarco cumprir suas obrigações socioambientais e, em um futuro próximo, retomar uma trajetória de crescimento sustentável.

Leia Também:  PIB cresce 1% no primeiro trimestre deste ano, após oito períodos de queda

A Vale informa que o processo será concluído uma vez que o plano de recuperação judicial seja aprovado, observando-se a maioria dos credores legalmente estabelecida pela LRF.

Dívida financeira

Segundo o fato relevante, grande parte da dívida financeira da Samarco com partes não relacionadas, de cerca de US$ 4,7 bilhões, sem qualquer tipo de garantia dos acionistas, foi contraída anteriormente ao rompimento da barragem do Fundão em novembro de 2015. Até agosto de 2016, a Samarco buscou honrar seus compromissos e realizou pagamentos regulares aos credores.

A Samarco também possui dívida financeira adquirida para fazer face às necessidades de caixa para sustentar seu capital de giro, obrigações da Renova, trabalhos de reparo e investimentos para a retomada operacional, sendo supridas, após agosto de 2016, por linhas de crédito disponibilizadas pelos seus acionistas Vale e BHP Brasil, totalizando US$ 4,1 bilhões até março de 2021.

“Logo após o rompimento da barragem de Fundão, a Samarco buscou uma negociação amigável com seus credores para a reestruturação da dívida contraída por meio de Bonds e Contratos de Pré-pagamento de Exportação (PPEs), e que foi em grande parte sendo adquirida dos credores originais por instituições que exploram o mercado de ativos estressados”, afirma a empresa.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

COLNIZA

CIDADES

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA