COLNIZA

MATO GROSSO

Corpo de servidora vítima da Covid-19 é trocado e família faz cortejo com outro

Publicados

em

O corpo foi trocado e somente foi descoberto no momento que seria
enterrada.  Silvana, de Primavera do Leste (a 235 km de Cuiabá), deu
entrada em unidade de saúde no dia 14 de agosto. O caso se agravou e no dia 19
foi transferida para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Cuiabá, onde
permaneceu internada até o falecimento.

Na manhã de
quinta (27) foi realizado em Primavera do Leste um cortejo, levando outro
corpo, com presença de familiares e amigos para o enterro da servidora, porém a
caminho do cemitério um parente recebeu um telefonema informando de que o corpo
não era da agente comunitária.

O corpo da servidora estava previsto para chegar na
cidade ainda na noite de ontem, mas até o momento isso não foi confirmado. A
Secretaria Municipal de Saúde Cuiabá emitiu uma nota esclarecendo o acontecido.

 

Nota

 A Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá
esclarece:

– Existe um protocolo dentro do Hospital Referência
COVID-19 para a liberação dos pacientes que foram a óbito. Após a constatação
do óbito e de todos os trâmites legais, o falecido é colocado dentro de um
invólucro impermeável, com seu nome afixado na altura do peito dele. Depois é
colocado em um segundo invólucro, que também tem o nome do paciente afixado e
levado para o necrotério.

– A funerária contratada pela família vai até o
hospital para fazer a retirada do paciente que foi a óbito. O serviço de óbito
do Hospital Referência tem a responsabilidade de abrir o necrotério para que a
funerária entre e leve o paciente correspondente à sua prestação de serviço. A
responsabilidade de identificar o paciente que será levado é da funerária.

– No caso em questão, a funerária entrou no
necrotério e levou uma pessoa que não correspondia ao seu serviço.

Leia Também:  Governo de MT vai parcelar multas, IPVA e licenciamento em até 12 vezes

A Secretaria
Municipal de Saúde de Cuiabá se solidariza com a família, que já passa pela dor
do luto e que foi intensificada com este equívoco.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Saiba como comunicar a venda e transferir a propriedade do veículo durante a pandemia

Publicados

em

Foto Internet

Quem está vendendo o veículo neste momento de suspensão temporária do atendimento presencial do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) em razão do novo Coronavírus, pode fazer a comunicação obrigatória da venda em 40 cartórios que estão interligados ao Detran-MT. CONFIRA AQUI A LISTA DOS CARTÓRIOS

Já o comprador do veículo, que deseja fazer a transferência de propriedade mesmo durante a pandemia, pode procurar algum despachante credenciado ao Detran-MT (LISTA DOS DESPACHANTES CREDENCIADOS) para fazer o serviço e realizar a vistoria do automóvel junto às empresas de vistoria veicular credenciadas na Autarquia. LISTA DE EMPRESAS DE VISTORIAS CREDENCIADAS.

“Essa é uma forma alternativa do cidadão realizar o serviço de compra e venda do veículo mesmo durante o período de pandemia do novo Coronavírus, em que muitas unidades do Detran se encontram com o atendimento presencial suspenso temporariamente no Estado”, ressaltou o presidente do Detran-MT, Gustavo Vasconcelos.

Como fazer

Ao vender o veículo, o proprietário e o comprador devem assinar o Certificado de Registro do Veículo (CRV) no campo de “vendedor” e “comprador” e reconhecer firma em cartório. Em seguida, o vendedor deve solicitar a cópia autenticada do documento, frente e verso, e pode comunicar a venda no cartório credenciado ao Detran-MT.

Leia Também:  Celulares de Mato Grosso terão nono dígito a partir da próxima semana

O valor para comunicado de venda em cartório é de R$ 67,09; sendo R$ 44,40 referentes à taxa da Anoreg e R$ 22,69 de taxa do Detran-MT. Após a compensação da taxa, a ativação do comunicado de venda será automática.

O comprador, por sua vez, fica com o CRV original e pode procurar um despachante credenciado ao Detran-MT para fazer a transferência de propriedade e a vistoria do veículo, junto às empresas credenciadas pelo Detran-MT de vistoria veicular, inclusive, solicitando o atendimento de vistoria veicular domiciliar, sem sair de casa.

O despachante contratado fará todo o procedimento até a entrega do documento final ao comprador.

Por que comunicar a venda

A comunicação de venda do veículo, além de ser um procedimento obrigatório do proprietário vendedor, previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), também é uma forma do vendedor se proteger do recebimento de pontuações de eventuais infrações cometidas pelo comprador e também de débitos gerados a partir da venda do veículo.

Já quem comprou o veículo precisa realizar a transferência de propriedade dentro do prazo estipulado pelo CTB, sob pena de multa. Todavia, o Detran-MT ressalta que o prazo para realizar a transferência de propriedade do veículo está suspenso pela Resolução n° 782 de 18 de junho de 2020, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), em razão da proliferação do contágio do novo Coronavírus em todo País.

Leia Também:  Governo repassou R$ 20,9 milhões do Fethab às prefeituras

“Ou seja, quem vender seu veículo neste momento poderá fazer a comunicação da venda em algum dos 40 cartórios associados ao Detran e quem comprou o veículo usado estará com prazo suspenso temporariamente para realizar a transferência de propriedade, conforme a Resolução do Contran”, explicou o diretor de Veículos do Detran-MT, Augusto Cordeiro.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

COLNIZA

CIDADES

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA